[UPD] Análise: Melodifestivalen 2016 | A final

março 12th, 2016 | by Equipe ESC12points
[UPD] Análise: Melodifestivalen 2016 | A final
Notícias
2

Olá, amigos do ESC12points!

Chegou a hora da verdade para a Suécia… Que é o último país, literalmente, a divulgar o artista e música para o Eurovision 2016! Hoje conheceremos o grande vencedor do Melodifestivalen de 2016, e olha, a disputa tá bem acirrada neste ano.

A equipe ESC12points se juntou mais uma vez para dar suas impressões de cada uma das canções desta grande final, excluindo as quatro que vieram do Andra Chansen – e que já tiveram suas análises feitas e lidas por todos, não é mesmo?

Nesta última semana de Melodifestivalen, a Friends Arena, em Estocolmo, sediará o evento onde Gina Dirawi apresentará o show com o comediante William Spetz. Teremos um interval act de tirar o folego, com vários hits passados do Melfest, incluindo Timoteij, BWO, Anton Ewald, Mariette, After Dark, Sarah Dawn Finer, entre vários outros, além da volta dela, da Lynda Woodruff (todas grita)!

final melodi

Sem mais delongas, vamos ao que interessa: as músicas! Qual é a sua favorita?

1. PanetozHåll om mig hårt

2. Lisa Ajax - My Heart Wants Me Dead (Por Neto)

lisa my heart wants me dead

Num ano em que o Melodifestivalen tá tão tenso quanto a final nacional da Moldávia, qualquer música que mostre um pouco de bom senso e simpatia já se eleva ao status de favorita. Esse é o caso de My heart wants me dead. Lisa Ajax é um nome relativamente em alta na Suécia depois da vitória do Idol há dois anos e sua música tem todos os ingredientes pra ser um hit: ritmo dançante (mesmo não sendo um bate cabelo), refrão chiclete e letra fácil de aprender/cantar. Pode não ser a música certa pra um bicampeonato, mas pode garantir um top 10 pra Suécia tranquilamente.

3. David LindgrenWe Are Your Tomorrow (Por Guilherme)

david lindgren we are your tomorrow

Após uma controversa passagem direkt till final, David Lindgren tem agora o desafio de convencer os críticos e boa parte do público sueco que We Are Your Tomorrow é mais do que um pop farofa genérico com uma apresentação razoável, garantida principalmente por sua boa presença de palco. Porém, a baixa popularidade da música nas redes sociais, nos charts suecos e nos streamings demonstra que a missão não será fácil. Até mesmo músicas que se classificaram apenas no Andra Chansen têm apresentado melhor desempenho, tornando We Are Your Tomorrow uma forte candidata ao bottom do Melfest.

4. SaRahaKizunguzungu

5. Oscar ZiaHuman (Por Dave)

oscar zia human

No Melfest do ano passado, fomos cativados por Don’t Stop Believing, a maravilhosa música da Mariette. Este ano, o Oscar Zia nos traz uma proposta similar. Human é um pop misterioso, com batidas marcantes e um refrão super grudento. A estética de Human também lembra à da Don’t Stop Believing: um cantor fixo no microfone, que apenas caminha alguns passos em um palco escuro. Mas, na minha opinião, a proposta do Zia é melhor que a da Mariette (que, repito, já era maravilhosa). Human tem um refrão infinitamente mais forte, com batidas que arrepiam. E a apresentação dispensa espíritos dançarinos ou panos voando: é apenas o cantor (e toda a sua ~gostosidade~) enfrentando as nuvens tormentosas do fundo. Ao meu ver, Oscar Zia tem a proposta (música + apresentação) mais sólida deste Melodifestivalen, e deveria ganhar fácil de todas as outras. Mas, depois de ver como os suecos preferiram Panetoz a Molly Pettersson Hammar, e SaRaha a ISA, eu nem quero me iludir…

6. Ace WilderDon’t Worry (Por Marcos)

ace don't worry

A música é ótima! A letra é moderna, fluída, coesa e divertida. O instrumental é sublime, um banho de cachoeira para os ouvidos já saturados dos Diplos e Calvin Harris de todo santo dia. O único problema (e que é bem grande, infelizmente) é a intérprete: Ace Wilder não tem um semblante carismático, nem uma postura que agrada à câmera. Sua voz é um pouco grave e apagada demais no ao vivo e, principalmente, seu sotaque incomoda bastante. Talvez com um outro intérprete teríamos uma grande favorita.

7. Robin BengtssonConstellation Prize (Por Matheus)

robin prize

Simpático, bonito, carismático e até bem vestido… Robin Bengtsson reúne características que nunca atrapalham dentro de um processo seletivo, e Constellation Prize é uma música que possui não apenas de qualidade, mas também sonoridade internacional, sem falar que tem potencial para crescer e conquistar o grande público em pouco tempo (qualidade fundamental no Eurovision)… e ainda conta com aquela gaita, que é um charme extra! Porém, nem tudo está perfeito, a performance é visualmente pobre, o jogo de luzes, a plataforma utilizada, nada parece estar na mesma sintonia, faltou criatividade e isso pode influenciar bastante o resultado final.

8. Molly SandénYouniverse (Por Fefe)

molly s youniverse

Apontada como uma das favoritas a vitória (o primeiro é o terrível Frans. Suécia, não faça isso, por favor, nunca te pedi nada!), a Molly Sandén tem um pop competente em mãos, mas não é nem de perto o melhor deste Melodifestivalen. A apresentação é super datada (neste caso, Don’t Worry da Ace Wilder tem a melhor performance da noite… Ou seriam Samir & Viktor de cueca? Fiquei na dúvida!) e aqueles panos voando é tão 2006, vish! O fim da música é extremamente triste, com uma quebra de ritmo e crescente que decepciona bastante, fora a gritaria! Apesar do refrão grudento, Youniverse não é uma canção memorável e digna para o Eurovision, há canções bem mais competentes neste caso (como Save Me, My Heart Wants Me Dead ou Human, as três melhores músicas da final pra mim). Se Molly consagrar-se a vitoriosa neste sábado, a Suécia pode ficar entre 13-20 lugar na grande final, assim como foi com o último representante da casa deles, o Robin Stjernberg. Porque o Deja Vú é inevitável com esse refrão cheio de You, né?

9. Boris René – Put Your Love on Me

10. FransIf I Were Sorry (Por Nanda)

frans sorry

Ah, a ironia. A última vez que a Suécia sediou o Eurovision, no nada longínquo ano de 2013, o vencedor do Melodifestivalen foi o improvável Robin Stjernberg. Três anos depois, a surpresa pode se repetir em casa. Depois de sua primeira apresentação, Frans já saltou para o rol de favoritos com sua If I Were Sorry, de melodia pop e delicada, diferente do padrão Melodifestivalen de ser, para o desespero dos fãs de schlager. Que me desculpem os meus colegas de ESC12points que estão desesperados com a possível vitória de Frans, mas caso ela aconteça, será justa. Mas se isso acontecer mesmo, cabe aos suecos levar a apresentação minimalista para o palco gigante da Globen Arena. Ou a gente corre o risco de, de novo, repetir 2013: o país da casa, ironicamente, não conseguir aproveitar seu próprio palco.

11. WiktoriaSave Me (Por Filipe)

wiktoria save me

Wiktoria entrou neste Melodifestivalen como uma desconhecida entre os eurofãs. E, muitas vezes, isso é uma vantagem: quando “ninguém espera nada de você”, e você entrega uma canção de ótimo nível, a reação chega a ser desproporcional. É o caso com Save Me. Repito o que já afirmei: é uma canção de ótimo nível. Mas “só”. O hype que está sendo criado pelos eurofãs é, sim, fora de proporção. É uma canção que merece aplausos, é uma cantora que merece voltar no próximo Melodifestivalen. Mas ser apontada como uma das favoritas a vencer o MF, como tem acontecido, é um exagero. A canção é bonitinha, tem uma pegada legal, e uma apresentação excelente (apesar de nada criativa). Mas, com todo o respeito, o Melfest merece mais – e tem opções melhores, nesta final. Entretanto, depois de não compreender as escolhas estranhas da Suécia durante o Andra Chansen (Kizunguzungu – sério, Suécia?), e considerando a ótima running order dela (sendo a penúltima a se apresentar), vai que ela ganha, não é?

12. Samir & ViktorBada Nakna

Quem será o representante do dono da casa nesse Eurovision? Façam suas apostas!

Um abraço!

[UPDATE]

O garoto chegou surpreendendo e acabou abocanhando a vitória! Frans, com If I Were Sorry, foi eleito o representante da casa com 156 pontos. Ele não foi o mais votado no júri internacional (Human, de Oscar Zia, foi o mais votado), mas o televoto foi quem levou o garoto para representar a Suécia no Eurovision.

Veja o videoclipe de If I Were Sorry, do Frans:

Comments

comments

2 Comments

  1. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Eu até gostei dessa musica, mas achei muito fraca para o eurovision, e se a Suécia ficar na posição nº 20 para baixo na final para mim nao é surpresa. Mesmo com os problemas da Ace Wilder e sua voz, a música Don’t worry para mim era a melhor do Mediofestivalen de longe, e muito melhor que a musica da Ace de 2014, iria conseguir top 10 fácil no eurovision, pois a apresentação também foi de longe a melhor e mais criativa. É uma pena!!!!

  2. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Ace Wilder quero voce fazendo igual a Sanna Nielsen, tentar de novo e de novo a classificação para o EuroVision, quero ver voce brilhar, porque dessa vez voce merecia ir para o ESC, nao em 2014, mesmo a musica sendo boa também, mas era pior que a desse ano!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *