Euroclub: Eurovision 2016 x Eurovision 2015

maio 9th, 2016 | by Filipe Lima
Euroclub: Eurovision 2016 x Eurovision 2015
Euroclub
3

Hello, peepohl!

Todo ano, quando começamos a conhecer as músicas que vão participar do Eurovision, temos a impressão de que o ano anterior era melhor – e que as canções do ano atual são, em média, ruins. E essa impressão demora um pouco a passar. Quando passa, percebemos que era somente caso de escutá-las mais vezes e acostumar com elas.

É tudo questão de tempo. Quando chegamos à semana do Eurovision, já conhecemos todas as músicas com maior profundidade, e estamos completamente viciados em algumas delas. Já houve tempo para criar simpatias e antipatias, decidir favoritas pessoais e até decorar algumas letras.

Aí sim, é o momento adequado para fazermos comparações. É muito mais justo comparar as canções de um ano com as do ano anterior quando você conhece as participantes atuais com maior clareza, e deu a elas tempo suficiente para um julgamento mais cuidadoso e prolongado.

E é exatamente isto que vamos fazer hoje no Euroclub: comparar, país por país, as músicas de 2016 com as de 2015. Neste caso, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Croácia, Portugal, Romênia e Ucrânia não farão parte da brincadeira, por não terem participado em 2015 ou por estarem fora da disputa deste ano.

Ovidiu Anton
Com exceção do Ovidiu, que está fora porque a Romênia é caloteira e a EBU é desorganizada

Vale ressaltar: as comparações que virão a seguir são somente opiniões minhas. Não estou procurando nenhum veredito lógico e definitivo. É somente a minha preferência pessoal. Até por isso, convido todos vocês a opinarem nos comentários, dizendo de quais escolhas minhas vocês discordam.

 

Eurovision 2016 x Eurovision 2015

Albânia: Fairytale x I’m Alive
2015.
Ano passado, precisava trocar a música. E trocou. Este ano, também precisava. E não trocou. Só piorou.

Alemanha: Ghost x Black Smoke
2016. Uma injustiçada, contra outra que provavelmente também será. Adoro as duas. Prefiro 2016.

Armênia: LoveWave x Face The Shadow
2015. Eu detesto LoveWave. E o Genealogy me convenceu demais quando os ouvi ao vivo na arena.

Austrália: Sound Of Silence x Tonight Again
2016. O Guy tinha a seu favor o fato de a Austrália ser novidade na competição. E só. A Dami é melhor em tudo.

Áustria: Loin D’ici x I Am Yours
2016. Um pop à la França. Um pop-rock à la Reino Unido. Os dois, ótimos. Fico com a fofura da Zöe.

Azerbaijão: Miracle x Hour Of The Wolf
2016. Uma das comparações mais difíceis entre todas. Amo as duas. Amo Miracle um pouquinho mais.

Bélgica: What’s The Pressure x Rhythm Inside
2015. Preciso explicar?

Bielorrússia: Help You Fly x Time
2015. Mais uma disputa acirrada – mas mais fraca que a azeri. Na dúvida, quase sempre escolho o violino.

Chipre: Alter Ego x One Thing I Should Have Done
2016. Uma me faz acordar. A outra me fazia dormir. E o Thomas G:son (normalmente) sabe o que faz.

Dinamarca: Soldiers Of Love x The Way You Are
2016. Que fase, hein, Dinamarca! Soldiers Of Love é “menos pior”.

Eslovênia: Blue And Red x Here For You
2015. Preciso explicar?

Espanha: Say Yay! x Amanecer
2015. Polêmico? Say Yay! é genérica demais, para mim. E o Thomas G:son (normalmente) sabe o que faz.

Estônia: Play x Goodbye To Yesterday
2015. Toda música da Estônia vira hype de eurofã. Mas Goodbye To Yesterday merecia. Play, não.

Finlândia: Sing It Away x Aina Mun Pitää
2016. Vencer esta disputa não é mérito nenhum para a Sandhja.

França: J’ai Cherché x N’oubliez Pas
2016. Mas seria bom se o Amir tivesse uma apresentação tão caprichada quanto a da Lisa Angell!

Geórgia: Midnight Gold x Warrior
2015. Preciso explicar? E o Thomas G:son (normalmente) sabe o que faz.

Grécia: Utopian Land x One Last Breath
2015. Dá até vontade de rir de ter que comparar um lixo com uma obra-prima! Ou seria vontade de chorar?

Holanda: Slow Down x Walk Along
2015. Na disputa dos phrasal verbs, prefiro a titia Trijntje.

Hungria: Pioneer x Wars For Nothing
2016. Eu ainda não engulo a Boggie ter ido para a final. A única coisa que prestava ali era a árvore no telão.

Irlanda: Sunlight x Playing With Numbers
2016. Uma me faz acordar. A outra me fazia dormir – para não dizer entrar em coma.

Islândia: Hear Them Calling x Unbroken
2016. Desculpa, Maria! Você é fofinha, e a sua canção, também. Mas Hear Them Calling é épica.

Israel: Made Of Stars x Golden Boy
2016. A disputa mais difícil e de maior nível entre todas. Posso jogar San Marino fora e ficar com as duas de Israel?

Itália: No Degree Of Separation x Grande Amore
2016. Aqui, é questão de gosto. Para mim, as duas têm nível idêntico. Fui pelo artista: não gosto do Il Volo.

Letônia: Heartbeat x Love Injected
2015. A criadora é melhor do que a criatura.

Lituânia: I’ve Been Waiting For This Night x This Time
2015. Ano vem, ano vai, e a Lituânia continua sendo um dos países mais indiferentes para mim…

Macedônia: Dona x Autumn Leaves
2015. O Daniel é o maior talento da Macedônia, atualmente. A música era ótima. A apresentação que estragou tudo.

Malta: Walk On Water x Warrior
2015. Polêmico? Na dúvida, quase sempre escolho o violino.

Moldávia: Falling Stars x I Want Your Love
2016. Que fase, hein, Moldávia! Falling Stars é “menos péssima”.

Montenegro: The Real Thing x Adio
2015. Preciso explicar?

Noruega: Icebreaker x A Monster Like Me
2016. Uma me faz acordar. A outra me fazia dormir.

Polônia: Color Of Your Life x In The Name Of Love
2016. Não sei para vocês. Para mim, não há comparação. Grande desnível, principalmente ao vivo.

Reino Unido: You’re Not Alone x Still In Love With You
2016. Vencer esta disputa não é mérito nenhum para Joe e Jake.

República Tcheca: I Stand x Hope Never Dies
2016. Gosto de I Stand menos do que a maioria. E Hope Never Dies, mais do que a maioria. Mas ainda escolho 2016.

Rússia: You Are The Only One x A Million Voices
2016. A Rússia não está brincando: mandou, na sequência, duas de suas maiores estrelas! Por muito pouco, 2016.

San Marino: I Didn’t Know x Chain Of Lights
2016. Insisto: posso jogar San Marino fora e ficar com as duas de Israel?

Sérvia: Goodbye (Shelter) x Beauty Never Lies
2016. Antes de me julgarem, lembrem-se de que ninguém gostava de Beauty Never Lies antes do ao vivo.

Suécia: If I Were Sorry x Heroes
2015. Preciso explicar?

Suíça: The Last Of Our Kind x Time To Shine
2016. Gosto de ambas. Mas Time To Shine é um pouco comum demais. The Last Of Our Kind é mais grandiosa.

 

Dois comentários finais:

1. Fazendo esta lista, percebi que tinha esquecido boa parte dos títulos das canções de 2015 (os artistas, não; mas os títulos das canções, sim).

2. Para mim, comparando a qualidade musical dos dois anos, a edição de 2015 foi bem melhor do que será a de 2016. Porém, curiosamente, na comparação país por país, 2016 venceu mais disputas: 22 a 16.

Jornalista por vocação e formação, bancário por bolso e sanidade. É fã de Eurovision desde as Afro-Dite, em 2002. Assistiu in loco à final de 2014, em Copenhague, e a todas as noites (inclusive as de júri) do festival de 2015, em Viena. O coração dele (quase) sempre bate pelos vizinhos Itália e Eslovênia.

Comments

comments

3 Comments

  1. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Concordo com vc em quase tudo, exceção de: Belarus, Itália, Lituânia, macedonia, Malta, Noruega, Russia, Servia.

  2. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Mas adorei suas comparações, bem legal.

  3. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Posso falar a verdade? Tem um país para mim que é impossivel definir a melhor de 2013 até 2016: Noruega, é quase impossivel, amo todas, mas a de 2013 é a melhor, porém entre 2015 e 2016, prefiro a do ano passado. A Suíça também foi dificil de optar pela Rykka.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *