Dinamarca 2016: Ai que preguiça

abril 7th, 2016 | by Antonio Neto
Dinamarca 2016: Ai que preguiça
Análises 2016
1

Oi oi ESC12Points!

Mais uma quinta-feira de análises e hoje nós vamos largar a música do Roupa Nova e voltar no tempo para a época em que as boybands faziam sucesso.

Foi em 1957 que a Dinamarca fez seu debut no Eurovision com a dupla Birthe Wilke & Gustav Winckler e a canção Skibet skal sejle i nat, conseguindo o terceiro lugar na ocasião. A história do país no festival se divide em duas partes: a primeira vai de 1957 até 1966 e a segunda começa em 1978 e dura até hoje, estando apenas ausente em 1996 devido as regras do festival na época. O país tem três vitórias em seu currículo: 1963, 2000 e, a mais recente, em 2013, quando Emmelie de Forest Emilinha da Floresta para os íntimos levou o certame novamente para Copenhague. No ano passado, o país foi representado pelo grupo Anti Social Media, que cantou The Way You Are mas não conseguiu chegar na grande final, ficando na 13ª colocação em sua semi.

Em 2016, mais uma vez a Dinamarca escolheu seu representante através do Dansk Melodi Grand Prix. Dez candidatos disputaram a vaga e, depois da superfinal, a vitória ficou com o grupo Lighthouse X, que bateram a vencedora do The Voice Australia, Anja Nissen, e a cantora Simone, que já tá ficando craque em ficar em terceiro lugar (é a terceira vez).

Dinamarca

O Lighthouse X é um trio formado por Søren Bregendal, Johannes Nymark duas delícias e Martin Skriver nem tão delícia assim. Além de cantores, os três também são atores, tendo atuado em séries e, principalmente, musicais. Eles se juntaram em 2014 e criaram o grupo com o objetivo de levar uma mensagem positiva para o mundo através da música, ou seja, assim como a Sandra Bullock e as candidatas ao título de Miss Universo, eles também querem a paz mundial.

O grupo de delícias vai para Estocolmo com a canção Soldiers of Love (o nome já mostra a vibe paz e amor deles). A música tem uma mensagem bonitinha, o que é bem legal, mas é só isso que ela tem de fofa. Estamos em 2016, mas a música parece que é de uns dez anos atrás. Ok, as vezes isso funciona positivamente, mas, nesse caso, não colabora em nada e nem funciona como um diferencial. Soldiers of love é basicamente uma daquelas músicas aleatórias que toca na rádio, você ouve, mas não faz questão de descobrir quem canta.

O histórico das boybands não é muito bom no festival. A última relevante foi o Blue, que fez muito sucesso nos anos 90 e ressuscitou para a edição de 2011 com I Can. O quarteto quase chegou no top 10, mas eles tinham, além do nome conhecido por toda a Europa, uma música mais atrativa. Ou seja, tá puxado pro Lighthouse X.

Ficadica: O público feminino pode ajudar. Além disso, as boas vibrações na letra da música podem amolecer alguns corações por aí.

Whatever: Música sem nenhum atrativo. Vejam bem, falei da música.

Nota do Editor: 6,5

Ranking ESC12points: 32º lugar

Nota ESC12points: 6 (maior nota: Gui, 8; menor nota: Marcos, 4)

Arquiteto, gordo e um terceiro continente a sua escolha. Tenho uma tara secreta pela Islândia que ninguém (incluindo minha pessoa) entende. Conheci ótimos artistas graças ao Eurovision e sonho que vários deles apareçam um dia no festival. Ou que pelo menos tentem.

Comments

comments

One Comment

  1. JEFFERSON LAMAS MACARONEL says:

    Adoro essa musica, realmente eles puxaram para os hits que tocam em radios mundiais, fizeram uma musica simples, sem muitos atrativos, mas ja tivemos musicas simples que impressionaram no EuroVision, como Calm After the Storm, A Million Voices, Running Scared. O que pode ser complicado para eles é realmente o problema da falta de sucesso das Boybands, mas amo essa musica do mesmo jeito e quero na final com toda certeza!Uma boa apresentação tembém será problema já que a apresentação no Dansk foi bem simples. Mas amei a análise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *